IMG_1121
Eu, Jack, Sara e Anish
Como mencionamos em nosso post anterior, Lençóis é uma cidade turística e bem movimentada, com muitos atrativos em curtas distâncias. Também está convenientemente localizado a menos de uma hora de carro de muitas outras maravilhas naturais no norte da Chapada Diamantina. Então, nos juntamos a Anish (da Austrália) e Sarah (da Suécia), que conhecemos no churrasco no Hostel International, saímos a desbravar esta parte da Chapada.

Dia 1:

O caminho que fizemos é um percurso muito típico feito pelas empresas de turismo de Lençóis, pode ser reservado dentro da cidade em qualquer agência – mas custar relativamente caro, cerca de R$ 200 / € 50 por pessoa, por dia. Isso não inclui as taxas de entrada para as atrações, ou almoço. Como as trilhas são super fáceis, não existe a necessidade de guia! Então vale a pena estar ou alugar um carro em Lençóis, se juntar com alguns amigos e rachar a gasolina. Pode ter certeza que sai bem mais barato. A maioria das estradas são boas (embora com muitos caminhões lentos), guias estão disponíveis nas entradas das atrações se for necessário.

day route
Dica: Comence cedo para que você possa pegar o pôr do sol no topo do Morro do Pai Inácio!

Poço do Diabo, apenas cerca de meia hora a partir de Lençóis, com a entrada na beira da estrada principal. (A entrada é gratuita). Seguimos a trilha beirando o rio Mucojesinho, após uma caminhada breve, chegamos ao poço, uma enorme piscina e uma cachoeira com 60 metros de altura. Um visual incrível. Um bom mergulho para se refrescar sobe o sol da manhã.

Partindo dali, indo para o oeste, passamos pelo imponente Morro do Pai Inácio, um dos cartões postais da Chapada. Efeitos de milhões de anos de erosão são visíveis em todos os lugares que você olhar por aqui, de cachoeiras, a penhascos íngremes e vales profundos.

E onde há coisas espetaculares encima do solo, há abaixo também.

Nossa próxima parada foi Gruta Lapa Doce, é conhecida como a terceiro maior caverna no Brasil. A presença de um guia é necessário para entrar aqui, com taxa de R$ 30 /€ 7.50 você tem um guia e uma lanterna, até que potente, para a caminhada através deste túnel natural. Nós descemos 70 metros abaixo do solo. A luz vai desaparecendo lentamente e o silêncio vai crescendo. Desligamos as lanternas por 1 minuto, há um silêncio total e completa escuridão. Foi um momento bem interessante. Esta caverna tem alguns morcegos, mas nada tão grande que possa te assustar.

 

850 metros mais à frente, damos um passo de volta para o calor e luz novamente. De volta para a superfície.

Por indicação do dono do Hostel que estávamos, almoçamos por ali mesmo no restaurante na Lapa Doce. Por cerca de R $ 25 / € 6, dá para comer bem, com uma seleção farta de comida regional.

Infelizmente, a nossa próxima parada não foi tão interessante como o esperado, quando seguimos para as águas azuis do Gruta da Pratinha.

blue water
Gruta da Pratinha

Chapada Diamantina é conhecida como uma região de beleza natural excepcional – mas o parque nacional abrange apenas uma pequena parte de toda a região. Algumas atrações próximas são vendidas como área de proteção ambiental, mas são áreas privadas. Pratinha tem uma taxa de entrada R $ 30 / € 7.50 – é bem movimentada. Eles têm uma tirolesa sobre o rio (taxa extra), uma caverna que você pode mergulhar (taxa extra), restaurante, café, tudo. Não é bem o lugar para procurar tranquilidade, é bem turístico e te cobram extra para tudo, achamos um pouco mercenários. Mas já que pagamos para entrar, nos divertimos bastante nadando com os peixinhos nesta água super azul (De graça! Após o pagamento da entrada!).

Há uma outra atração do lado da Pratinha, chamada Gruta Azul, não é bem sinalizada, fica fora da propriedade particular então a entrada é livre. Aqui, em dias de sol entre 2pm e 4pm, a luz do sol entra na caverna e deixa ainda mais azul. Nós não tivemos está sorte de ver a luz entrando, mas vale a pena uma olhada rápida se você estiver na área.

Finalmente, para terminar o dia voltamos para o Morro do Pai Inácio, o pico de 1,120m que passamos mais cedo naquela manhã. Uma estradinha leva a entrada da trilha, onde se paga uma tarifa de R$ 6 / € 1.50, depois de uns 20 minutos subindo chegamos no topo. Daí é só aproveitar a vista:

IMG_1132

Sara e Anish foram ótima companhia – obrigada pessoal, tivemos ótimos momento! Eles deixaram Lençóis no dia seguinte, indo para Itacaré e Salvador. Para o nosso segundo dia, nós não tivemos a mesma sorte, não encontramos outras pessoas para se juntar a nós no passeio.

IMG_5476

Dia 2:

Cachoeira do Mosquito foi o único destino deste dia, uma cachoeira de 50 metros escondida dentro de um cânion. Leva quase uma hora de Lençóis – mas é bem sinalizada. Não confie no Google para as instruções dessa vez!

A taxa de entrada é R$ 15 / € 4 cobrada na fazenda / restaurante no caminho, mas as instalações são muito bem mantidas. Trilhas construída adequadamente, e um bom estacionamento. (E cerca de R$ 20 / € 5 para um almoço super gostoso e regional). Depois de seguir a trilha, chegamos a:

A melhor massagem no ombro que você vai achar por menos de €5!

Advertisements